Translate

sábado, 6 de agosto de 2016

Optaram pelas florestas



Com certeza inúmeros cientistas estão preocupados com o clima e o meio ambiente. O tema afeta diretamente, pesadamente, mortalmente países que dominaram a Natureza e agora sentem suas reações de inúmeras formas. A Olimpíada de 2016 escolheu bem um tema delicado e apolítico. Seria apenas isso?
O impacto da sociedade humana no meio ambiente cairia drasticamente em pouquíssimo tempo se os seres humanos tivessem educação e orientações adequadas de comportamento, simplesmente. O desperdício (que gera fortunas imensas) de energia, petróleo e seus derivados, alimentos (que inclusive criam pessoas gradativamente maiores e dispendiosas), arquitetura irresponsável, urbanismo distante dos desafios do século 21 (com destaque para a viabilização do pedestre) etc. mudariam tudo, mas isso não dá votos nem dinheiro, poder.
Para continuar gastando surgem novas tecnologias, todas elas alegando serem limpas...
Os lobbies industriais e comerciais induzem pensamentos equivocados e temerários, pois a verdade é que em poucos meses principalmente os grandes países consumidores poderiam reduzir drasticamente a poluição. Depois, evidentemente, é confiar no progresso da pesquisa aplicada ao tema, inclusive, quem sabe, na reengenharia do corpo humano.
As Olimpíadas são o grande evento esportivo que os gregos inventaram[i]. Já foram objeto, em princípio, de conceitos religiosos, políticos, atávicos e tribais. O ápice desse fenômeno aconteceu em 1936 [ (OS JOGOS OLÍMPICOS DE 1936 - BERLIM Enciclopédia do Holocausto), (Berlim 1936: Quando tudo se perdeu s.d.)] eem plena Alemanha, cujos jornais, alguns, imaginamos,  criticam (Empolgação e zombaria", diz imprensa alemã 2016) os brasileiros em 2016.
Com certeza, contudo, as Olimpíadas Rio 2016 começaram maravilhosamente, sempre lembrando como as autoridades que comandaram o espetáculo em 5 de agosto de 2016 destacaram: o Brasil e Mundo estão passando por uma tremenda crise econômica, social e política. Os realizadores desse evento e os governos envolvidos fizeram milagres apesar de inúmeros percalços e dúvidas. O desastre brasileiro, que se reflete em desemprego, violência etc. a partir da corrupção desenfreada que a Operação Lava Jato está mostrando algo só possível em um país livre, democrático.
Realmente os brasileiros tendem à vida lúdica e não guerreira, algo que outros povos começam a entender.
Economia? Um país continental e recente tem desafios monumentais, inclusive a camisa de força imposta por aqueles que fabricam e gerenciam dinheiro.
Prioridades? O Rio de Janeiro significa investimento, será uma fonte inesgotável de divisas se resolver os problemas que a própria Olimpíada destaca.
Aprendemos a repensar em serviços essenciais, habitação, educação, segurança, há muito a ser feito na excapital federal e em praticamente todas a cidades brasileiras. Isso significa trabalho, oportunidades, empregos, investimentos, tecnologia...
Nossos jovens estão vendo as Olimpíadas, que maravilha.
Hoje acordamos com orgulho de pensar que somos brasileiros.

Cascaes
6.8.2016



[i] Wikipédia em 6 de agosto de 2016 - Os Jogos Olímpicos antigos foram uma série de competições realizadas entre representantes de várias cidades-estado da Grécia antiga, que caracterizou principalmente eventos atléticos, mas também de combate e corridas de bigas.[1] A origem destes Jogos Olímpicos é envolta em mistério e lendas.[2] Um dos mitos mais populares identifica Hércules e Zeus, seu pai, como os progenitores dos Jogos.[3][4][5] Segundo a lenda, foi Hércules que primeiro chamou os Jogos "Olímpicos" e estabeleceu o costume de explorá-los a cada quatro anos.[6] A lenda persiste que, após Hércules ter completado seus doze trabalhos, ele construiu o estádio Olímpico como uma honra a Zeus. Após sua conclusão, ele andou em linha reta 200 passos e chamou essa distância de estádio (em grego: στάδιον, latim: stadium, "palco"), que mais tarde tornou-se uma unidade de distância. Outro mito associa os primeiros Jogos com o antigo conceito grego de trégua olímpica (ἐκεχειρία, ekecheiria).[7] A data mais aceita para o início dos Jogos Olímpicos antigos é 776 a.C., que é baseada em inscrições, encontradas em Olímpia, dos vencedores de uma corrida a pé realizada a cada quatro anos a partir de 776 a.C.[8] Os Jogos Antigos destacaram provas de corrida, pentatlo (que consiste em um evento de saltos, disco e lança-dardo, uma corrida a pé e luta), boxe, luta livre e eventos equestres.[9][10] Diz a tradição que Coroebus, um cozinheiro da cidade de Elis, foi o primeiro campeão olímpico.[11]
As Olimpíadas foram de fundamental importância religiosa, com eventos esportivos ao lado de rituais de sacrifício em honra tanto a Zeus (cuja famosa estátua por Fídias estava em seu templo em Olímpia), quanto a Pélope, o herói divino e rei mítico de Olímpia. Pélope era famoso por sua corrida de bigas com o Rei Enomaude Pisatis.[12] Os vencedores das provas foram admirados e imortalizados em poemas e estátuas.[13][14] Os Jogos eram realizados a cada quatro anos, e este período, conhecido como uma Olimpíada, foi usado pelos gregos como uma das suas unidades de medição do tempo. Os Jogos foram parte de um ciclo conhecido como os Jogos Pan-Helénicos, que incluem os Jogos Píticos, os Jogos de Nemeia, e os Jogos Ístmicos.[15]
Os Jogos Olímpicos chegaram ao seu apogeu entre os séculos VI e V a.C., mas, depois, perderam gradualmente em importância enquanto os romanos ganharam poder e influência na Grécia. Segundo alguns autores, o declínio do espírito olímpico não se inicia no período romano e sim no período helenístico. Uma das causas mais importantes para se compreender esse declínio é a mudança do status de cidadão/soldado para súdito (soldado/profissional ou atleta/profissional). Dessa forma o profissionalismo se realizou como efeito da mudança política e não como a própria causa das mudanças ocorridas do período clássico para o helenístico.[16]
Não há consenso sobre quando os Jogos terminaram oficialmente; a data mais comum, é 393 d.C., quando o imperador Teodósio I declarou que todas as práticas e cultos pagãos seriam eliminados.[17] Outra data é 426 d.C., quando seu sucessor Teodósio II ordenou a destruição de todos os templos gregos.[18] Os Jogos Olímpicos não voltaram a ser realizados novamente até o final do século XIX.

Empolgação e zombaria", diz imprensa alemã. 8 de 2016. http://www.dw.com/pt/empolga%C3%A7%C3%A3o-e-zombaria-diz-imprensa-alem%C3%A3/a-19453064.
OS JOGOS OLÍMPICOS DE 1936 - BERLIM. Enciclopédia do Holocausto. https://www.ushmm.org/wlc/ptbr/article.php?ModuleId=10005680 (acesso em 09 de 8 de 2016).
Paulo, IG São. Berlim 1936: Quando tudo se perdeu. s.d. http://esporte.ig.com.br/olimpiadas/berlim-1936-quando-tudo-se-perdeu/n1237884565746.html (acesso em 6 de 8 de 2016).


Nenhum comentário:

Postar um comentário